Vida


                                   






                                   
                  Boas dicas para cuidar da arrumação da sua casa 

Do site:  Eco desenvolvimento




12 dicas para tornar suas manhãs mais produtivas

 manha-ecod.jpg
Para algumas pessoas, as primeiras horas do dia são as piores para se fazer qualquer coisa. Enquanto que, para outras, é o oposto: elas são as melhores. O fato é que o modo de como você passa o período da manhã pode ajudar seu dia a ser mais produtivo e agradável.
Montar hábitos matutinos no seu dia a dia não é necessariamente rápido ou fácil, mas é possível. Leo Babauta, que é criador do blog Zen Habits, autor de cinco livros sobre maneiras de se viver melhor e ainda instrutor para cursos de mudança de vida, dá dicas de como ele próprio atua em todas as suas manhãs.
  • A ideia é: se você quer viver melhor e ser mais produtivo, comece a levantar mais cedo;
  • Beba água logo em seguida, planeje e atue nas três tarefas mais importantes que você quer colocar em prática neste dia;
  • Alimente-se, prepare um lanche nutritivo para si e também para os que vivem com você;
  • Leia. Estimule sua mente e relaxe antes de se preparar para o resto do dia;
  • Exercite-se. Ande de bicicleta, faça natação ou medite. Faça com que sua vida tenha um equilíbrio entre mente e corpo;
  • Por fim, tome um banho para completar a manhã.
Porém, antes de tudo isso, um bom dia começa com uma grande noite de sono, portanto, descanse. Como?
  • Vá para a cama na hora certa;
  • Evite cafeína ao final do dia;
  • Coma pelo menos três ou quatro horas antes de dormir;
  • Beba meia xícara de chá de camomila uma hora antes de dormir;
  • Faça algum alongamento leve, aproveite e tome um banho quente em seguida;
  • Evite o contato com telas de eletrônicos por uma hora antes de dormir.
(Via eCycle)

 
Condições de uso do conteúdo 
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

Busque a "Fazenda Esperança".

retornoavida@fazenda.org.br


Esta é a "FAZENDA ESPERANÇA”. Aguardo a sua confirmação depois de recuperado. Com imensa alegria.








Nas Entrelinhas
Correio Braziliense - 25/12/2011
Por Denise Rothenbug

Nos restaurantes, bares, clubes, praias, todo mundo comenta sobre o cumprimento dos prazos para entrega da infraestrutura necessária à realização da Copa do Mundo. Mas pouquíssimos mencionam que 2012 e 2014 são anos-chaves para erradicar os lixões do país
Hoje pela manhã e ontem à noite, você e sua família abriram os presentes de Natal, degustaram aquela ceia, regada a vinho, champanhe, refrigerantes, sucos para as crianças. Aposto que, assim como eu, encheram uma lata de lixo com papéis de embrulho rasgados, garrafas, plásticos, etc. Como bem lembrou o senador Cícero Lucena (PSDB-PB) na 12ª Conferência das Cidades, este ano, nós brasileiros produzimos 160 mil toneladas de lixo por dia. E, em muitas cidades, tudo isso vai parar num lixão, sem coleta seletiva, sem tratamento, onde catadores de lixo se expõem a doenças todos os dias.
Cícero Lucena foi relator da Lei de Resíduos Sólidos, que fixa uma série de prazos para que as autoridades municipais cumpram as determinações inscritas no Plano Nacional de Resíduos Sólidos. A lei estabelece, por exemplo, que cada município elabore o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos até agosto do ano que vem. É quando começa a campanha municipal no rádio e na TV. Se não o fizerem, diz a lei, não poderão receber recursos do Orçamento da União. No caso de prefeitos candidatos à reeleição, muita gente acha que eles ainda podem trabalhar esse projeto para não passar vexame na hora da campanha. Mas, aqueles que não pretendem concorrer, ou estão no final do segundo mandato, podem não ter a mesma preocupação.
O senador, relator da lei, está preocupado. "Temo não só pelos prefeitos — que já fui um dia —, mas pela população, pois poderemos presenciar o caos em nossas cidades. Porque, volto a repetir, muitos municípios não contam com capacidade técnica para elaborar esse instrumento de gestão", diz o senador.
Os dados da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre) apresentados na Conferência das Cidades são alarmantes: 87% do lixo brasileiro vão para os lixões que persistem em 73% dos municípios brasileiros. Apenas 13% seguem para reciclagem ou compostagem — transformação do lixo úmido em adubo. Hoje, as instituições calculam que existam mais de um milhão de catadores de lixo no Brasil, onde apenas 40% das cidades possuem coleta seletiva. E, ainda assim, esses serviços alcançam algo entre 10% e 20% dos habitantes dessas cidades. Apenas 37% dos municípios têm aterros sanitários e só 20% realizam o processo de compostagem. Ou seja, há muito o que fazer nessa área.
Por falar em lixões...
A mesma lei que fixou agosto de 2012 como prazo para definição do plano de gestão dos resíduos sólidos estabeleceu agosto de 2014 como data limite para que esse plano esteja implementado e os lixões erradicados. O tempo é mais que suficiente se isso for uma prioridade dos governos — federal, estaduais e municipais. É interessante: todo mundo fala hoje em cumprir os prazos para entrega de infraestrutura necessária à realização da Copa do Mundo. Mas pouquíssimos mencionam que 2012 e 2014 são anos-chaves para erradicar os lixões no país.
E, para essa tarefa de gestão do lixo, os recursos são tão importantes quanto para as obras da Copa, sem contar o que podem promover em termos de geração de empregos. A indústria de recicláveis, conforme a presidente Dilma Rousseff pode constatar na visita que fez a Osasco na semana passada, movimenta R$ 8 bilhões por ano. Isso com menos de um terço do lixo reciclado ou submetido ao processo de compostagem. Se houve um investimento pesado nesse setor nos próximos anos, pode-se chegar a três vezes esse valor.
E, para isso, não basta a lei fixar prazos. É preciso educar as pessoas. Hoje, muitas escolas ensinam os alunos a fazer vasos de planta e outros utensílios com garrafas pet. Mas é preciso ter em mente que os hábitos da reciclagem e separação do lixo devem começar em casa. Por isso, se ontem você ganhou um celular novo e vai jogar o velho fora, procure um ponto de coleta desses aparelhos na sua cidade. Aquele televisor velho? Doe a quem não tem nada ou procure se informar onde entregá-lo para reciclagem. E sabe dos papéis e das garrafas de que falei logo no início deste artigo? Corra! Talvez ainda dê tempo de verificar se não foram misturados aos caroços das ameixas e os restos do peru de Natal.




Hortas feitas com canos.


Fonte: Google


                                       


Brotos, como é fácil cultivar em casa!

Veja a imagens de "BROTO" do google

20 TROCAS QUE VALEM A PENA


De: Elaach Data: 07 de outubro de 2011



1 Pão francês por integral


Eis uma forma de começar o dia protegendo as artérias. A massa integral presenteia o organismo com boas doses de fibras. Esse ingrediente serve de alimento a bactérias aliadas que moram no intestino. Bem nutridas, algumas delas fabricam mais propionato, uma substância que tem tudo a ver com os níveis de gordura na circulação. “Ao chegar ao fígado, ela diminui a produção de colesterol”, explica a gastroenterologista Jacqueline Alvarez-Leite, da Universidade Federal de Minas Gerais. Com isso, cai também a quantidade dessa partícula no sangue.



2 Leite integral por desnatado


Esse esquema garante a entrada do cálcio, tão caro aos ossos, sem um bando de penetras gordurosos. A bebida desnatada tem o mesmo teor do mineral, com a vantagem de ostentar menos ácidos graxos saturados. O excesso desse tipo de gordura eleva os níveis de LDL, a fração ruim do colesterol. “Isso porque reduz o número de receptores que captam LDL nas células”, ensina a nutricionista Ana Maria Pita Lottenberg, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Se esse mecanismo não funciona direito, o colesterol vaga no sangue, pronto para se depositar na parede das artérias.



3 Óleo de soja e outros por azeite


O ganho dessa troca vem da combinação entre gorduras benéficas e antioxidantes que povoam o óleo de oliva. Uma de suas vantagens é fornecer doses generosas de ácidos graxos monoinsaturados. “Eles não aumentam os níveis de LDL e ainda ajudam a erguer um pouco as taxas de HDL, o colesterol bom”, afirma o cardiologista Raul Dias dos Santos, do Instituto do Coração de São Paulo. “Além disso, os compostos fenólicos do azeite evitam a oxidação do colesterol, fenômeno que propicia a formação das placas”, completa Jorge Mancini, diretor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo.



4 Pizza de mussarela pelas de vegetais


A ideia pode não agradar aos fãs mais puristas das pizzarias, mas presta um enorme serviço aos vasos sanguíneos. Deixar camadas e mais camadas de queijo de lado de vez em quando significa podar gordura saturada do cardápio. Como você viu, ela protagoniza o disparo do LDL, o tipo perigoso do colesterol. Substituir a mussarela ou a quatro queijos pelas redondas cobertas de vegetais é uma saída para degustar pizzas sem receio. Opções não faltam — vale pizza de escarola, de rúcula, de brócolis e até de abobrinha. E elas oferecem um bônus: pitadas de fibras e antioxidantes.



5 Salgadinhos por castanhas


Essa troca é destinada àquele momento em que pinta a fome no meio do dia. Solução fácil, mas nada saudável, seria recorrer aos salgadinhos ou biscoitos recheados, petiscos que costumam contar com gordura trans em sua receita. “Ela não só faz aumentar o LDL como ainda contribui para derrubar o HDL”, alerta Ana Maria Lottenberg. Para escapar da malfeitora, aposte nas castanhas e nas nozes — legítimos depósitos da gordura monoinsaturada, que faz exatamente o trabalho oposto. “As oleaginosas ainda são fontes de antioxidantes”, lembra Jorge Mancini.



6 Cereais açucarados por aveia


A aveia tem fama de ser um dos cereais mais nutritivos do planeta. Por isso merece um espaço logo no café da manhã — seja na forma de flocos, seja no mingau. Um estudo da Universidade Federal de Santa Catarina comprova, mais uma vez, sua capacidade de cortar a gordura que sobra no sangue. “A aveia é rica em betaglucanas, fibras fermentadas no intestino e capazes de regular a síntese de colesterol”, explica a autora, Alicia de Francisco, que também é coordenadora para a América Latina da Associação Americana de Químicos de Cereais. “Observamos que elas ainda aumentam o HDL”.



7 Bauru por peito de peru e queijo branco


Calma, não pretendemos condenar ao ostracismo um lanche tão tradicional como o bauru. O problema é que ele deixa a desejar se as taxas de colesterol já rumam aos céus. Basta averiguar seus ingredientes: queijo prato e presunto, redutos de gordura saturada e colesterol. Que tal substituí-lo por um sanduba de peito de peru e queijo branco, que é mais esbelto do que seu congênere? Experimente. Só é preciso ficar atento ao tamanho do lanche. Ora, uma gigantesca baguete recheada pode fornecer mais calorias e gorduras do que um bauru de porte modesto.



8 Camarão por peixe


Convenhamos: frutos do mar não são tão frequentes no prato do brasileiro. Mas vale ficar atento durante aquela viagem à praia para não se abarrotar de camarões. Eles encabeçam o ranking marinho de colesterol — são 152 miligramas da gordura em uma porção de 100 gramas. Ou seja, quase o triplo do que é oferecido pela mesma quantidade de um peixe gordo como o salmão. Esse pescado se sai melhor também por outro motivo: ele é carregado de ômega-3. E uma nova pesquisa da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, revela: o ômega diminui a captação de LDL pela parede das artérias, prevenindo as placas.



9 Picanha por lombo


O porco não é mais gordo que o boi nem o boi é mais gordo que o porco. Tudo é uma questão de corte. Há peças bovinas com menos gordura saturada, caso da alcatra e do filé mignon, e há aquelas parrudas, como a picanha e o cupim. O mesmo raciocínio se aplica à carne suína: o lombo é mais magro que o pernil. Mas saiba que há medidas para retalhar o possível malefício de qualquer corte rechonchudo. “Limpe a peça antes de cozinhá-la, retirando toda gordura aparente”, ensina Ana Maria. Até porque, apesar de a gente não ver, altas doses do nutriente já estão emaranhadas na carne.



10 Margarina por manteiga


Elas mantêm uma rivalidade histórica e ainda suscitam debates entre os experts. No duelo em prol de artérias saudáveis, porém, a manteiga leva certa vantagem.






11 Quindim por compota de frutas


Os doces costumam ser condenados por carregarem açúcar demais. Quando a discussão envolve colesterol, porém, o açúcar pesa menos do que outro ingrediente comum em quindins, brigadeiros e bolos: a gordura. A manteiga, o creme de leite e outros ingredientes gordurosos que dão consistência aos quitutes levam consigo ácidos graxos saturados, que alavancam as taxas de LDL. Não à toa, os especialistas aconselham trocar esse tipo de sobremesa por opções que, sem perder o sabor adocicado, são desengorduradas. O melhor exemplo são as compotas de frutas. Só não vale, é claro, abusar.



12 Suco de laranja pelo de uva


Essa é para matar a sede e resguardar o peito. É na casca da uva que está um parceiro do coração, o resveratrol. “Ele atua na redução do colesterol e tem efeito antioxidante”, diz a bioquímica Tânia Toledo de Oliveira, da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais. Ao impedir que as partículas de LDL se oxidem, a substância evita indiretamente que elas grudem na parede do vaso. Ao contrário do que muita gente pensa, o resveratrol não é exclusivo do vinho. O suco de uva natural e feito na hora (com casca, por favor!) também o disponibiliza ao organismo.



13 Chá de ervas por chá-mate


Não é campanha contra a receita da avó, mas as infusões à base de camomila e afins perdem feio para o mate se o assunto é colesterol. Que o digam cientistas da Universidade Federal de Santa Catarina, que avaliaram as propriedades dessa erva típica do sul do país. “Notamos uma queda de 8,5% nos níveis de LDL em voluntários com taxas normais e uma redução extra de 13,5% em pessoas que tomavam remédios para abaixar o colesterol”, conta o farmacêutico Edson Luiz da Silva, que liderou a pesquisa. A proeza vem das saponinas, moléculas presentes no mate. “Elas diminuem a absorção do colesterol no intestino, favorecendo sua excreção pelas fezes”, explica.



14 Cebola branca por cebola roxa
Essa troca pode ser estendida à alface e ao repolho: prefira sempre o roxo. As hortaliças com essa cor abrigam um pigmento que aplaca o colesterol, a antocianina. “Experimentos feitos em animais no nosso laboratório mostraram que ela reduz consideravelmente a concentração da gordura no sangue”, conta a professora Tânia Toledo de Oliveira, da Universidade Federal de Viçosa. “A substância inibe uma enzima que participa da síntese de colesterol no fígado, além de aumentar sua eliminação do organismo.” Morangos e cerejas, saiba, também são reservas de antocianinas.



15 Molho branco pelo de tomate
O macarrão é o mais inocente por aqui. Quem incentiva ou não a escalada do colesterol é o molho — sempre. O branco é bem gordo. Em 2 colheres de sopa encontramos 4,5 gramas de gordura. Como o preparo exige creme de leite e queijo, o prato fica cheio de ácidos graxos saturados. Uma bela macarronada ao sugo não guarda esse perigo. Nas mesmas 2 colheres de sopa, há somente 0,1 grama de gordura. “Apenas procure usar o molho de tomate feito em casa e evitar a manteiga no momento de refogá-lo”, orienta a nutricionista Ana Maria Lottenberg. E, se possível, opte pela massa integral.



16 Chocolate ao leite pelo amargo
O doce de cacau se notabilizou como um amigo do sistema circulatório. Mas não é todo chocolate que, de fato, prova sua amizade às nossas artérias. O tipo que merece respeito é o amargo. “Ele possui menos gorduras saturadas que o branco e a versão ao leite”, afirma a nutricionista Vanderlí Marchiori, colaboradora da Associação Paulista de Nutrição. “Sem falar que fornece catequinas, substâncias que ajudam a sequestrar o LDL e impedir sua oxidação”, diz. Mas fique atento ao rótulo: amargo de verdade tem mais de 60% de cacau em sua composição.



17 Sal por ervas e alho
Está em suas mãos uma maneira de preservar os vasos sem deixar a comida ficar insossa: em vez de exagerar no sal, ingrediente que patrocina a hipertensão, use a imaginação e as ervas aromáticas, além de alho. “Ele tem compostos capazes de controlar o colesterol”, exemplifica Vanderlí. E ervas como o orégano e o alecrim merecem ser convidadas à cozinha por causa do seu poder de fogo contra a oxidação, um fenômeno que, você já sabe, não poupa o LDL, tornando-o ainda mais danoso para as artérias. Mas essa ação pode minguar quando os ingredientes são expostos a temperaturas elevadas. Procure acrescentá-los nos minutos finais do cozimento.



18 Frango com pele pelo frango sem pele
Muita gente pensa que basta despir uma coxa de frango assada no prato para se livrar de um boom de colesterol. Ledo engano. “Retirar a pele é, sim, fundamental, mas isso deve ser feito antes de levar a carne ao fogo”, esclarece a nutricionista Cláudia Marcílio, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo. “Quando submetidos ao calor, a gordura saturada e o colesterol da pele conseguem se dissolver e penetrar na carne”, justifica Ana Maria. Aí, será tarde…



19 Queijo pelo tofu
A intenção não é jogar mais pedras sobre o parmesão, o provolone e até o minas, mas abrir espaço ao tofu, que é feito de soja. Ele é uma preciosidade porque concentra o que o grão tem de melhor: proteínas e isoflavonas. “A proteína da soja aumenta a atividade de receptores que colocam o LDL para dentro das células e inibe a principal enzima responsável pela produção de colesterol”, explica a nutricionista Nágila Damasceno, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. E as isoflavonas não só potencializam a queda do LDL como evitam sua oxidação.



20 Pipoca de micro-ondas pela de panela
Faz toda a diferença investir um tempo a mais para estourar o milho no fogão. “É uma forma de controlar a quantidade de gordura no preparo, porque no produto de micro-ondas ela já é fixa”, argumenta a doutora em ciência dos alimentos Maria Cristina Dias Paes, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, em Sete Lagoas, no interior de Minas Gerais. A versão que ganha na praticidade perde pontos porque carrega ácidos graxos saturados e trans. “Na panela, dá para usar um óleo mais saudável, como o de canola”, diz Cristina. Daí, você aproveita as fibras do milho, deixando seu colesterol em paz.


De: Elaach Data: 07 de outubro de 2011


Assine a "Revista Cidade Nova" para seus filhos!

De Georgr Carlin


"Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios,
dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos
muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e oramos raramente.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.
Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores. Limpamos o ar, mas poluímos a alma ; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito;

escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares
despedaçados. Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral
descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'. Um
momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa. Uma era que
leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou
simplesmente clicar 'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não
estarão por aqui para sempre. Lembre-se dar um abraço carinhoso num amigo,
pois não lhe custa um centavo sequer. Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua
companheira (o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, ame... Ame
muito.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro. O segredo da
vida não é ter tudo que você quer, mas AMAR tudo que você tem!
Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado."

Cada dia sempre um "Natal"


Enviando Jesus, Deus se dá totalmente para todos os homens... Que o nosso amor faça renascer em tantos do nosso convívio a chama de luz e amor que “Ele” trouxe para a felicidade plena da humanidade.
Com muita alegria desejamos a todos os paranaenses, com suas famílias, um Natal e Ano Novo!

Deaquino, Conceição, Maria Tereza e Natália.

Estava para tirar esta mensagem mas pensei e deixei...

Natal é todo dia:
Quando você se renega para aceitar o outro por amor!
Quando diante do outro você se faz vazio de suas próprias idéias, colocando todo o seu ser para o outro, “fazendo-se um com o outro”. Assim, Jesus renasce , vivo e potente, criador e transformador. E não é isto que o mundo espera? Se não, ser amado e feliz! Jesus vem e nasce através do seu e do nosso amor.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Meditação

Eucaristia e ressurreição
No Evangelho de João, Jesus afirma: "o pão que eu darei é a minha carne para a vida do mundo" ( Jo 6,51b). E ainda: "Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia" ( Jo 6,54). "... para a vida do mundo": a Eucaristia, portanto, serve já a partir deste mundo para dar a vida. Mas, o que é a vida? Jesus o disse: "Eu sou a vida" ( Jo 11,25;14,6). Esse pão nutre-nos d'Ele já desde esta vida. "E eu o ressuscitarei no último dia." A Eucaristia dá também a vida para o outro mundo. Mas, o que é a ressurreição? Jesus também o disse: "Eu sou a ressurreição" ( Jo 11,25). É Ele que dá início em nós à sua vida imortal, aquela que não é interrompida com a morte. Ainda que o corpo seja corruptível, a vida, Cristo, permanece tanto na alma como no corpo, como princípio de imortalidade. A ressurreição é um grande mistério para todos os homens que raciocinam com critérios humanos. Mas existe um modo de viver no qual o mistério se torna menos incompreensível. Ao vivermos o Evangelho visto pelo prisma da unidade, experimentamos, por exemplo, que, atuando o Mandamento Novo de Jesus, o amor recíproco leva a unidade fraterna entre os homens, que supera o próprio amor humano, natural.Ora, esse resultado, esta conquista é efeito da atuação da vontade de Deus. De fato, Jesus sabia que, se nós correspondêssemos aos seus imensos dons, já não seríamos "servos" ou "amigos" seus, mas "irmãos" seus e irmãos entre nós, porque nutridos da própria vida d'Ele. Para mostrar que esta família é de outra natureza, o evangelista João usa uma imagem muito sugestiva: a da videira e dos ramos (cf. Jo 15). A mesma seiva — poderíamos dizer o mesmo sangue —, a mesma vida, ou seja, o mesmo amor (que é o amor com o qual o Pai ama o Filho) é-nos comunicado (cf. Jo 17,23-26) e circula entre Jesus e nós. Tornamo-nos, assim, consangüíneos, concorpóreos com Cristo. E é, pois, no sentido mais verdadeiro e, sobrenaturalmente, mais profundo que Jesus, depois de sua ressurreição, chama os seus discípulos de "irmãos" (cf. Jo 20,17). Ora, uma vez construída essa família do Reino dos Céus, como poderíamos imaginar uma morte que possa interromper a obra de Deus, com todas as conseqüências dolorosas que isto comporta? Não, Deus não nos podia colocar diante de uma separação absurda. Ele devia dar-nos uma resposta. E no-la deu revelando-nos a verdade da ressurreição da carne. Ela, praticamente, não é mais, para quem crê, um mistério obscuro de fé, mas uma conseqüência lógica da vivência da vida cristã. Ela é portadora da imensa alegria de sabermos que nos encontraremos todos com aquele Jesus que nos uniu desse modo. Chiara Lubich Blog: CENTRETO - SÃO PAULO

O AGIR QUE SE ALARGA


“E preciso fazer com que as pessoas e grupos, engajados nas várias dimensões da vida humana, redescubram os valores profundos e eternos do homem, coloquem a fraternidade como base de suas vidas e só depois se mobilizem para a ação”. A conseqüência é a seguinte:

O AGIR SE ALARGA, PASSANDO DE UM AMOR INTERPESSOAL PARA UM AMOR MAIOR,AQUELE PELO 'PÓLIS', PELA CIDADE.

“È um amor que exige sacrifícios, esforços, fadiga. Pede para que todos se transformem de pessoas covardes e egoístas, preocupadas apenas com os próprios interesses e os próprios afazeres, em pequenos heróis da vida cotidiana, que no dia-a-dia estão a serviço dos irmãos, de todos, prontos até mesmo a dar a vida por eles”.Chiara Lubich

Algumas experiências


Tenho 16 anos e sou o filho mais novo, e recentemente meu pai teve que se aposentar. Porém, para continuar mantendo os rendimentos da família, resolveu assumir um outro emprego, dentro da área de seu conhecimento, porém tendo que viajar muito.
Assim, o convívio da família ficou muito restrito. Mesmo quando está em casa, ele tem que ficar muito tempo isolado, preparando as coisas para a próxima viagem.
Isso me deixou um pouco triste, pois tenho pouquíssimo tempo para conversar com ele. Por outro lado, me fez entender mais ainda que a vida tem suas dificuldades, e que toda a família sofre as conseqüências de algo que acontece com um de nós.
Entendi também que ele mesmo, que é muito apegado à família, sofre por ter que trabalhar tanto e tendo tão pouco tempo para ficar conosco.
Então, resolvi agir de modo a amenizar essa situação. Nas poucas oportunidades que me encontro com meu pai, procuro só falar de coisas boas, para deixá-lo feliz. Às vezes só há tempo para um sorriso e um abraço, mas sei que, mesmo assim, nosso relacionamento é até mais forte.

Dante (Brasília-DF)



Foto: Clarice Safari - SP


Sou viúva e moro sozinha. Apesar de ter garagem em minha casa, às vezes deixo o carro estacionado na rua, por vários motivos. Um dia, quando fui sair com o carro, percebi uma pequena batida. Fiquei chateada e uma pessoa que estava na rua me disse que foi a vizinha da frente. Disse ainda que ouviu ela dizer, sem mostrar preocupação alguma: “carro não é pra ficar na rua”. Aquelas palavras mostravam que não adiantaria conver-sar com ela. Tentei, então, perdoá-la, aceitando o fato como um desses infortúnios que não se pode evitar.
Algum tempo depois, eles compraram um carro novo e tiveram que deixar o outro na rua cotidianamente. Não demorou muito e o carro deles amanheceu com uma batida. Concertaram, mas pouco tempo depois, veio outra batida. Ficaram muito chateados.
Lembrando da Palavra de Vida “Faça aos outros o que gostaria que fizessem a você”, resolvi oferecer a eles uma vaga na minha garagem, que comporta dois carros. Eles ficaram muito surpresos, mas aceitaram.
É verdade que, às vezes, tenho que esperar o filho deles chegar tarde para guardar o carro, mas isso tudo criou entre nós um clima de fraternidade. Se eu me ocupo um pouco com os problemas deles, eles também se empenham em me ajudar em alguma coisa. Todos ganham com isso.
Raimunda (Brasília-DF)
Estas duas experiências são do Jornal da Comunidade de Brasília - DF.
Quando entrei no avião, para voltar das férias, eu quis cumprimentar a aeromoça, o comissário e alguns passageiros, porque isso faz bem a todos. Depois, quando fui sentar, uma pessoa precisava sentar em meu lugar. Então eu deixei porque isso também faz Jesus feliz.
Alexandre – 6 anos (Brasília)
Nestas férias, à luz da Palavra de Vida de janeiro que falava em “orar continuamente”, me dei conta de que estava considerando os momentos de oração e meditação como obrigação, como uma imposição a quem queira se aproximar de Deus. De fato, sempre considerei os momentos de oração como algo absolutamente necessário para mim. Porém, assim como é imprescindível o alimento para o corpo – e é mesmo obrigatório –, mas ao mesmo tempo é algo que recebo com satisfação, da mesma forma deveria desfrutar dos momentos de encontro com Deus – aliás, melhor ainda, com muita alegria e gratidão. E assim tenho procurado viver estes sublimes momentos a partir de então.

João Carlos (Um jovem de Brasília)

A liberdade "não significa tanto a possibilidade de escolher o bem e o mal, quanto de caminhar sempre mais em direção ao bem." Afirma Chiara Lubich aos jovens. E prossegue: “Tenho constatado que o bem liberta, o mal escraviza. Ora, para ter a liberdade é preciso amar. Pois aquilo que nos torna escravos é o nosso eu. Ao passo que pensando sempre no outro, ou na vontade de Deus quando cumprimos os próprios deveres, ou no próximo, não pensamos em nós e somos livres de nós mesmos."
****************************************************

«Na minha classe tem muitas meninas bacanas, mas também tem outras que chegam até a ler uma revistinha que não é muito legal. Elas sempre me convidavam para ler juntas e terminei cedendo, mesmo porque fiquei curiosa daquilo que comentavam. Comecei a ler e fiquei assustada. Naquelas páginas se incentivavam os adolescentes a manter rela-cionamentos sexuais o mais frequente possível. E tudo o que estava escrito sobre o homem e a mulher era banal e vulgar, nada a ver com a beleza com que Deus nos criou. Durante o intervalo, uma colega me perguntou se a partir de então eu também gostaria de ler essa revista. Imediatamente respondi que não, e que jamais faria isso e lhe perguntei porque ela lia coisas desse tipo. “Você é uma puritana – me respondeu ofendida – não tenho mais nada a ver com você!” Eu fiquei mal, sem saber o que dizer. Como é possível fazer a amizade depender da leitura de uma revista como aquela?
Uma reação de ódio me invadiu completamente, junto com a vontade de me vingar. Depois pensei: “Não, não vou me vingar e sim amá-la!” E assim fiz. Dias depois outra colega se aproximou e me disse que a minha atitude de não ler aquele tipo de revistas estava certa e que ela também queria experimentar fazer assim. Isso me deixou muito feliz».


......................................................................................


Experiência:

Com os santos foi isso que aconteceu. Mas nem sequer nós devemos desanimar. Também os cristãos comuns podem produzir fruto. Veja, por exemplo, esse fato:

Você sabe que boa parte do mundo estudantil hoje está politizado e deixa pouco espaço para aqueles que gostariam de ser úteis à humanidade partindo de outras inspirações.

Estamos em Portugal. Maria do Socorro entrou para a universidade, após terminar o ensino médio. O ambiente é difícil. Muitos de seus colegas lutam, conforme a própria ideologia, e cada um quer levar consigo os estudantes que ainda não se manifestam.

Maria sabe muito bem qual é o seu caminho, embora seja difícil explicá-lo: seguir Jesus e permanecer unida a ele. É tachada de pessoa amorfa e sem ideais pelos seus companheiros, que não conhecem nada de suas ideias. Algumas vezes ela sentiu respeito humano, sobretudo ao entrar na igreja. Mas não desanima, porque sente que deve permanecer unida a Jesus.


Aproxima-se o Natal. Maria percebe que alguns dos colegas não podem ir festejar em casa, pois moram muito longe, e então propõe aos outros companheiros a ideia de oferecerem juntos um presente àqueles que não vão viajar. Para sua grande surpresa, todos aceitam de imediato.

Algum tempo depois acontecem as eleições para representante do curso e, para sua grande surpresa, justamente ela é eleita. Mas a surpresa é ainda maior quando lhe dizem: “É lógico que você tenha sido eleita! Você é a única que tem uma linha bem definida, que sabe o que quer e o que fazer para realizá-lo”. Alguns de seus colegas se interessaram pelo seu ideal e agora querem viver da mesma forma.

Um bom fruto da perseverança de Maria do Socorro em permanecer unida a Jesus.

Chiara Lubich

“Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim”. (Jo 13,1)



***************************************************************************
Episódio verdadeiro.


Aconteceu tempos atrás e, no entanto, parece de uma atualidade incrível. De fato, conheço inúmeros jovens que se comportam hoje com a mesma atitude da moça desta história.

Chamava-se Elvira. Cursava a Escola Normal. Era pobre, e só poderia prosseguir os estudos se conseguisse manter uma média alta. Possuía uma fé sólida. O seu professor de filosofia era ateu, de modo que não raramente apresentava as verdades sobre Cristo, sobre a Igreja, de maneira alterada, quando não deformada. O coração daquela jovem fervia de indignação. Não por ela, mas pelo seu amor a Deus, à Verdade e às suas companheiras. Embora consciente de que, contradizendo o professor, corria o risco de ter uma nota baixa, o que Elvira sentia dentro de si era mais forte do que ela mesma. Levantava a mão todas as vezes, pedindo a palavra: “Não é verdade, professor!”. Talvez nem sempre ela possuísse os argumentos para rebater os comentários do professor, mas naquelas palavras “não é verdade” estava toda a sua fé, que é dom da Verdade e, por isso mesmo, faz pensar.

As colegas, que gostavam dela, tentavam convencê-la a não se manifestar, para que ela não fosse prejudicada. Mas não conseguiam.

Passaram alguns meses. Chegou a hora da distribuição dos boletins com as notas. A jovem recebe o seu boletim apreensiva. Depois, teve um sobressalto de alegria. Dez! A nota máxima.

Elvira tinha procurado acima de tudo fazer com que Deus e a Sua Verdade reinassem, e o resto veio por acréscimo.


>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo.”

Se também você procurar o Reino do Pai, haverá de experimentar que Deus é Providência com relação a todas as necessidades da sua vida. E descobrirá a normal extraordinariedade do Evangelho.

Chiara Lubich



Experiências

O que você achou desta página?
Deixe o seu comentário em qualquer lugar dos comentários deste Blog. Ou escreva para:

Maria da Conceição Pinheiro Moreira


moreira.mcp@gmail.com

Estou aguardando seu e-mail. Obrigada!

Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - Paraná - RN


Participe!
Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.
Momentos de reflexão, adoração, devoção, louvor e troca de experiências... Oportunidade para pedir graças a MÃE DE DEUS, MÃE DO PERPÉTUO SOCORRO.

Toda terça-feira ás 19:00h



Campanha da Fraternidade 2011

Campanha da Fraternidade de 2011


O tema da Campanha da Fraternidade de 2011 é “Fraternidade e a Vida no Planeta” que será voltada para o meio ambiente; e o lema é “A Criação Geme Com Dores de Parto”. Dom Dimas Lara Barbosa, bispo auxiliar do arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro e secretário geral da CNBB, conta-nos que a Campanha da Fraternidade de 2011 reflete a questão ecológica, com foco, sobretudo, nas mudanças climáticas.



Marcadores

Deixe aqui o seu comentário

Você pode comentar qualquer página deste Blog.
É só entrar com seu email e senha do gmail no final de cada página do Blog.
No final de cada postagem você encontra o espaço para escrever seus comentários ou escreva:
Obrigada!